Olá pessoal!! Hoje vamos falar sobre um fundamento ESSENCIAL para a natação em águas abertas: a Navegação! Também conhecida como Respiração frontal. Se não estivermos com ela muito bem treinada corremos o risco de ficar desorientados durante a prova e ainda acabamos nos desgastarmos mais durante o nado.

 

No momento da navegação o ideal é o atleta tirar somente os olhos da água de maneira que consiga fazer um movimento rápido, eficiente (visualizando o percurso) e continuo, isto é, ele(a) olha para frente e em seguida já deixa o rosto cair de lado efetuando a respiração lateral! Este movimento de navegação costumo de chamar de “fronto – lateral” e é considerada a mais eficiente das navegações.

 

Um erro comum é o atleta levantar demais a cabeça para visualizar o percurso. Com isso, o quadril fica mais fundo, acarretando em um apoio excessivo na braçada e, consequentemente, um desequilíbrio de todo o nado. Por isso, aproveite da melhor maneira possível a finalização da braçada, ela servirá como “apoio” no momento da navegação. Uma boa propulsão nesta fase também aumenta o deslize do nado, tornando-o mais eficiente e menos desgastante.

 

Quando nos deparamos com situações de muita onda ou vento é muito importante que o atleta deixe seu corpo mais relaxado na água para que se “encaixe” nas condições impostas pela natureza. Desta forma, o atleta conseguirá aumentar a cadência de braçadas (giros de braços) e sentir melhor o tempo das ondas e marolas. É fundamental que o atleta tenha esta sensibilidade pois o momento ideal de efetuar a navegação nestas condições é quando estamos “em cima” na onda ou marola, isto é, quando forma bolsa de água e nos leva para cima, pois assim teremos mais chance de enxergar o percurso! Resumindo: relaxe o corpo e se encaixe na água, tire o deslize no braço de apoio, tire a força do inicio da braçada, mantenha a amplitude da finalização e consequentemente aumente o ciclo de braçadas!

 

Muitos me perguntam qual a frequência ideal de navegações. Para provas curtas e médias (até 5km), se o atleta estiver bem treinado, oriento executá-la no máximo a cada 6 braçadas. Dependo da quantidade ou dificuldade para enxergar o percurso, é bom fazê-la a cada 4 braçadas. Em provas mais longas o ideal é de 6 a 8 braçadas, mais do que isso o nadador corre o risco de sair do percurso e nadar mais. Além das correntes e ventos que nos jogam para os lados é muito difícil manter o nado 100% alinhado sem a raias para termos como referência.

 

Como estamos falando de um elemento fundamental na natação em águas abertas, acredito que a navegação deva ser aplicada diariamente no planejamento do atleta para que fique cada vez mais eficiente e menos desgastante. Por ser um movimento que exige bastante da coluna cervical procure fazer da maneira mais correta possível e sem exageros.

 

Uma dica é realizar exercícios unilaterais (1 braço de cada vez) durante o treinamento. Seguem alguns exemplos:

Mantenha o braço direito parado na frente com palmar e gire somente o braço esquerdo efetuado a respiração fronto-lateral. O palmar ajudará na percepção no apoio na frente. SEMPRE faça o exercício com os dois braços, o domínio e equilíbrio do nado é fundamental para prevenir lesões e aumentar o rendimento;

 

Mantenha o braço direito parado na frente e gire o braço esquerdo COM PALMAR efetuando a respiração fronto-lateral. Neste caso o palmar ajudará na percepção na finalização e sua importância no apoio da navegação.

 

Após realizado ambos exercícios faça o nado completo com palmar e depois sem palmar efetuado a respiração fronto-lateral. Fazer o nado bilateral (3x1) efetuando a navegação só para o lado direito na ida e do lado esquerdo na volta.

 

É isso. Treine e NAVEGUE o máximo possível sem se desgastar, pois a navegação será fundamental para executar um bom percurso!

 

Até a próxima!!

Samir Barel

Colunista

Educador Fisico, especializado em Bioquímica, fisiologia, nutrição e treinamento pela UNICAMP. Idealizador do DESAFIO AQUAMAN, diretor técnico do ALOHA SPIRIT e sócio da ELO Academia de Campinas. Foi TOP TEN no Grand Prix Mundial da FINA em 2013, participou e venceu diversas ultra maratonas aquáticas, destaque para a 14Bis (24K) e a tríplice coroa: canal da mancha (36k), volta da ilha de Manhattan (45K) e Canal Catalina (34K). Mensalmente assina nossa coluna sobre natação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *