Olá Pessoal!

Chegamos ao mês de maio, o mês do maior evento de triathlon da América Latina: o Ironman Florianópolis!! A prova, que é classificatória para o Mundial da modalidade em Kona, é uma das mais prestigiadas pelos atletas e fãs de esporte como um todo. A natação, primeiro grande desafio do combinado, muitas vezes é subestimada uma vez que representa aproximadamente 10% do total da prova (3,8k). Apesar do ciclismo e a corrida contarem com metragens mais elevadas, uma natação ruim pode comprometer toda a prova. Afinal pedalar e ainda correr atrás do prejuízo pode ser mais desgastante e colocar uma pressão enorme no atleta.

 

A primeira dica é sobre o LOCAL. Florianópolis é sempre uma icógnita. Ás vezes chove, ás vezes o mar está lisinho, mas se tem uma coisa que atrapalha muita gente é a correnteza. Por isso, sempre pergunte para um bombeiro ou oficial para onde está a correnteza. Se não conseguir encontrar alguém para dar essa informação, se não estiver ventando, olhe para um barco de apoio da organização da prova, para onde estiver apontando a traseira do barco é a direção da correnteza.

 

Procure manter a calma na LARGADA. Ás vezes é difícil por conta da ansiedade, mas manter esse controle pode fazer toda a diferença durante o trajeto que é puxado. Procure não hiperventilar, controlar bem a respiração.

 

Além disso, largue em um ritmo forte, controlando a respiração e não entrando em FC anaeróbica. Isso porque larga muita gente junto, então procure se posicionar em um grupo ou um espaço onde você consiga aos poucos imprimir seu ritmo. Quando encontrar seu espaço, use mais a cadência de braço, tirando um pouco a força da largada. Por estar utilizando roupa de neoprene o braço vai servir mais como um remo e o corpo como um caiaque, onde vc poderá imprimir seu ritmo.

 

Entenda que um triatleta de alta performance não nada 3,8k na mesma intensidade que começa a natação. Ele realiza um SPRINT de 200m, 300m na largada e depois tem uma estabilização natural mantendo um RITMO CONSTANTE. Ou seja, o atleta começa em alta velocidade e depois baixa para o ritmo normal de competição permitindo que o corpo se recupere e economize energia para as próximas etapas. Portanto, imprima um ritmo confortável, lembrando que após os 3.800 metros tem ainda 180 quilômetros de pedal e uma maratona (42 quilômetros) para correr.

 

Caso o mar esteja MUITO MEXIDO, procure não nadar com muita amplitude de nado e sim com uma cadência maior, para que você possa se encaixar no ritmo das marolas. Por isso, utilize uma braçada um pouco mais alta e solta, mantenha uma cadência de braçada contínua, se encaixando no mar.

 

Espero ter ajudado mais uma vez e desejo a todos que irão encarar esse mega evento esportivo muita força, paciência e resiliência para superar os limites e cruzar a linha de chegada, independente do tempo. Só de ter se preparado para chegar lá, vocês já são vencedores!!

 

FOTO: @brasilironman (reprodução)

 

Esta coluna é um oferecimento de BLOCKS. Uma barra de frutas e castanhas que não possui essências ou conservantes. Utilizam apenas matéria prima integral, sem adição de açúcar, glúten e lactose. Experimente, são produtos divertidos, acessíveis e com qualidade. Um snacks pronto para te acompanhar nos treinos, provas ou no dia a dia.

 

Todos os produtos BLOCKS estão disponíveis no site do trilo e nas principais lojas do Brasil.

Samir Barel

Colunista

Educador Fisico, especializado em Bioquímica, fisiologia, nutrição e treinamento pela UNICAMP. Idealizador do DESAFIO AQUAMAN, diretor técnico do ALOHA SPIRIT e sócio da ELO Academia de Campinas. Foi TOP TEN no Grand Prix Mundial da FINA em 2013, participou e venceu diversas ultra maratonas aquáticas, destaque para a 14Bis (24K) e a tríplice coroa: canal da mancha (36k), volta da ilha de Manhattan (45K) e Canal Catalina (34K). Mensalmente assina nossa coluna sobre natação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *