Quem aí não conhece um amigo triatleta e já pensou começar a treinar para completar uma prova? Atualmente, a principal barreira para o início neste esporte é o alto investimento em equipamentos e custos de espaços para treinamento.
 

A grande disponibilidade de planilhas de treinamento, assessorias esportivas, parceiros de treino, provas, informações em grandes portais, contribuem significativamente para o crescimento do esporte e para o rápido desenvolvimento de seus praticantes.
 

Este rápido desenvolvimento é um fator de muita atenção, pois etapas importantes são puladas, comprometendo a maturação física e técnica do atleta e, consequentemente, colocando em risco a longevidade no esporte, pela perda da motivação e frustrações recorrentes.
 

O triatleta geralmente tem preferência, já praticou por algum tempo, ou passa a gostar de uma ou duas modalidades, deixando de lado as demais. Normalmente o ciclismo é a maior tentação, por conta da interação com o equipamento, novas tecnologias, possibilidade de explorar novos locais, ou poder treinar em grupos maiores. Essa preferência acaba prejudicando a evolução geral do atleta e o atingimento das metas.
 

Sempre somos colocados em uma saia justa quando algum atleta iniciante no triathlon nos procura para estrear ou para completar um Ironman no ano seguinte. Este é um projeto que coloca em risco a integridade física e motivacional do atleta e compromete nosso planejamento. Não conseguimos desenvolver capacidades e habilidades importantes de cada modalidade, com isso, o resultado costuma ficar abaixo do esperado, frustrando tanto o atleta, quanto o treinador.
 

Um processo saudável seria iniciar na modalidade com distâncias mais curtas e provas isoladas das modalidades, desde travessias em águas abertas (em mar, lago, represa), ciclismo de estrada (se possível, seria importante o atleta ter uma bicicleta de estrada), e corrida de rua (desde 5 a 42 km). Os treinos de base (treino de força, potência, resistência) e específicos (combinados, simulados, etc.) precisam ser muito bem planejados e incluídos na rotina do atleta.
 

Por meio desta estratégia, os atletas mantém um alto nível de motivação, diversificam metas e treinamento, aprendem com colegas que tem melhor aptidão em cada modalidade, além de permanecer por mais tempo fazendo o que gostam!
 

Um triatleta completo é aquele que domina todas as modalidades em proporções similares, conseguem se divertir, tem bons resultados em diferentes desafios, e evoluem gradativamente no esporte, colhendo os resultados em médio e longo prazo.
 

Até aonde você quer chegar? Qual o tamanho do seu sonho?

Bons treinos, galera!

Rodrigo Lobo

Colunista

Bacharel em Educação Física pela Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo; Sócio diretor da Lobo Assessoria Esportiva; Palestrante de temas sobre qualidade de vida, treinamento esportivo e empreendedorismo; Colunista do portal Ativo.com e colaborador de diversos portais e revistas esportivas; Atleta amador de corrida de rua e triathlon, Contribui com o Trilo mensalmente com a coluna - DA TEORIA A PRÁTICA - tudo que precisamos saber para manter os treinos e a qualidade de vida!

2 thoughts on “Você é um triatleta completo?

  1. Opá tudo bom, estar motivado é a essência no dias atuais, por isso precisamos de conteúdo que nos ajudem, parabéns pelo blog me ajudou muito.

    1. marcelo abdo disse:

      Obrigado pelo feedback, continue com a gente. muita coisa boa pela frente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *