Todo atleta se preocupa muito com a performance, subir volume para completar provas mais longas, como meia-maratona, maratona, ultramaratona, Ironman, trail running, e outras provas doidas que surgem no calendário esportivo.

 

Antes de pensarmos em periodização e treinos mirabolantes, precisamos ter em mente conceitos biomecânicos básicos da corrida, que nos ajudarão a entender a importância do controle de peso e composição corporal para o desenvolvimento técnico e o aumento de rendimento nesta modalidade que atrai milhões de praticantes pelo mundo.

 

A corrida sofre influência direta da gravidade. Precisamos vencê-la a cada passo com saltos sucessivos e fase aérea evidente, em paralelo, buscamos, incessantemente, reduzir o tempo de contato com o solo, atenuar impacto, distribuir bem a pressão plantar, para reduzir o pace e poder ir mais longe gastando menos energia possível.

 

Vocês perceberam uma correlação disso tudo com o sobrepeso? Em resumo, este está, indiretamente, relacionado com a performance e diretamente relacionado com o risco de lesões, tornando-se um dos vilões mais assombrosos e difíceis de combater. Observem os atletas de elite das corridas de longa distância, dos 5 km para cima, todos eles estão dentro ou um pouco abaixo da faixa ideal do IMC (índice de massa corporal: relação entre peso e altura).

 

Não existe um peso ideal, cada um possui uma estrutura corporal, porém sabemos que, dependendo de suas metas e objetivos, a dedicação e o alinhamento da dieta precisa ser ainda mais fino. O acompanhamento por um profissional da nutrição é importante para que esta dieta seja funcional e adequada para sua realidade, perfil e planos no esporte, portanto, não existem receitas mágicas e resultados rápidos.

 

Concluindo, se você almeja correr até seus 90 ou 100 anos de idade com qualidade e bons resultados, reflita bem sobre este tema. Se você tem dificuldade para lutar contra o vilão do sobrepeso, não se desespere, pois é muito mais complexo do que imaginamos, porém o primeiro passo, é ter a clareza de que ele é muito maligno, portanto, vamos exterminá-lo o quanto antes com diferentes armas, muita força de vontade e dedicação.

 

Bora pra cima, galera!

Rodrigo Lobo

Colunista

Bacharel em Educação Física pela Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo; Sócio diretor da Lobo Assessoria Esportiva; Palestrante de temas sobre qualidade de vida, treinamento esportivo e empreendedorismo; Colunista do portal Ativo.com e colaborador de diversos portais e revistas esportivas; Atleta amador de corrida de rua e triathlon, Contribui com o Trilo mensalmente com a coluna - DA TEORIA A PRÁTICA - tudo que precisamos saber para manter os treinos e a qualidade de vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *