Você começou a treinar há alguns dias e meses e já está morrendo de vontade de participar de provas para colocar em prática os treinos, e curtir o final de semana ao lado dos amigos fazendo o que gosta? E você, que já treina há muitos anos, e já perdeu as contas de quantas provas de corrida, triathlon, montanha, etc... tem no currículo.

O crescimento vertiginoso das provas de corrida, triathlon e outras modalidades, ocorreu no início dos anos 2000, antes disso, conseguíamos saber exatamente quantas e quais provas formavam o calendário anual, poucas organizadoras comandavam este mercado e o valor das inscrições eram bem mais acessíveis.

Quem já está há mais de 15 anos treinando já deve ter ouvido falar do calendário da Corpore com provas clássicas, como Corrida do Barro Branco, SP Classic, Corrida de Natal, Ilhabela Terra e Mar. No triathlon, eram raras as provas, como o circuito do Troféu Brasil com mais de 7 etapas, o circuito Brasil Fit e o Long distance de Pirassununga e Ubatuba. As provas de montanha (trail run) praticamente não existiam, não eram tão divulgadas e organizadas.

Atualmente o acesso às inscrições é muito mais rápido e fácil, antigamente precisávamos ira até algum local físico retirar e entregar as fichas de cadastro e pagar via depósito, ou cheque. Poucos colegas participavam de provas mais duras, como maratonas, ultramaratonas, Ironman, etc...

Era muito difícil cruzar com alguém na rua vestindo camisetas de "pano" de corrida, ou triathlon e poder conversar sobre este assunto. Atualmente, isto é extremamente comum. O acesso à informação qualificada é mais fácil e rápido, seja por meio dos grandes portais, Instagram e Youtube. O número de assessorias esportivas/treinadores específicos aumentou significativamente, tornando um nicho de mercado que brilha os olhos de muitos profissionais da educação física, fisioterapia, nutrição, além do mercado de roupas, acessórios esportivos e tecnologia.

Tudo isso parece incrível e perfeito, porém existe um grande ponto de atenção a partir deste cenário... o excesso de provas no calendário do atleta e as etapas que são puladas para os grandes desafios, como atletas participando de maratonas com menos de 1 ano de treino, ou encarando o primeiro Ironman em menos de 2 anos no esporte.

Ao definir o calendário precisamos levar em conta uma série de fatores, para que possamos nos divertir e realizar nossas metas, dentre eles:

1. Tempo de prática e histórico esportivo: É fundamental para que possamos entender o estado de maturação/nível do atleta para elaborar a periodização, característica dos treinos e prever possíveis dificuldades e potencialidades.

2. Relevância das metas/provas em nossas vidas: Precisa ser relevante o suficiente para elevar os níveis de motivação, a fim de tornar a atividade mais prazerosa e regular.

3. Rotina diária e disponibilidade para treinos: É fundamental entender quantas horas poderemos dedicar diária e semanalmente para poder tornar os treinos seguros e as metas atingíveis, além disso, saber qual o nível de estresse e se conseguiremos associar os treinos com as tarefas diárias.

4. Equilíbrio sempre: Os treinos para as provas não podem interferir negativamente em nossa rotina e precisa estar em sinergia com outros pontos fundamentais, como trabalho, família, etc.

5. Dedicação, disciplina e bons hábitos: Estes pilares são fundamentais para que os treinos sejam seguros e possamos otimizar os resultados, além é claro, da longevidade saudável no esporte e da qualidade de vida.

6. Prioridades das provas: Podemos inserir diversas provas no calendário, mas categorizá-las em Alta prioridade (A), Média prioridade (B), ou Baixa prioridade (C) é fundamental para que a periodização seja cumprida à risca e haja evolução significativa. Caso optemos por muitas provas duras de categoria A ao longo do semestre, ou ano, correremos sérios riscos de lesões e daremos sempre passos para trás.

7. Nível de dificuldade: Muito cuidado para não ultrapassar etapas. As provas mais fáceis e com distâncias menores servem de alicerce para que possam vencer grandes desafios no futuro (ex: provas longas, ou de qualquer distância em níveis nacionais ou internacionais), preparando nosso corpo e mente para enfrenta-los.

Vamos pra cima, galera! Defina bem o que é relevante em sua vida, estabeleça metas bem definidas e factíveis, treine duro para elas com muita qualidade e prudência, e comemore muito os resultados!

Bons treinos e até nosso próximo desafio!

Rodrigo Lobo

Colunista

Bacharel em Educação Física pela Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo; Sócio diretor da Lobo Assessoria Esportiva; Palestrante de temas sobre qualidade de vida, treinamento esportivo e empreendedorismo; Colunista do portal Ativo.com e colaborador de diversos portais e revistas esportivas; Atleta amador de corrida de rua e triathlon, Contribui com o Trilo mensalmente com a coluna - DA TEORIA A PRÁTICA - tudo que precisamos saber para manter os treinos e a qualidade de vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *