A corrida de rua é uma modalidade que vem merecendo atenção especial pela sua popularidade. Benefícios diversos à saúde, facilidade de execução, baixo custo, prazer, busca por melhora do rendimento individual e competição são atrativos que alimentam essa demanda.

 

Junto a esta febre da corrida, um grande vilão está sempre por perto querendo nos derrubar! Apesar da evolução do desenvolvimento tecnológico e científico da área, as lesões afastam a grande maioria dos corredores de seus treinos e provas.

 

A busca excessiva pela melhora de resultados rápidos, e as etapas que são puladas acabam potencializando a instalação dessas lesões, resultando em afastamentos temporários ou definitivos da modalidade.

 

Inúmeras pesquisas estão disponíveis na literatura científica e os números são bem variados, mas todos assustadores. Algumas pesquisas apontam para 35% dos corredores que se lesionam, enquanto outras chegam a números maiores, até 70% dos corredores. Tudo isso depende muito do grupo envolvido na pesquisa e critérios que definem as lesões.

 

A origem delas pode estar relacionada à combinação de dois fatores, os extrínsecos e intrínsecos.

 

Os fatores extrínsecos são representados por: erro de treinamento, e características da superfície de treino (dureza). Já os fatores intrínsecos são representados por: falta de flexibilidade, lesões prévias, assimetria entre segmentos, experiência de treinamento.

 

Todas estas possíveis causas foram agrupadas (3 grupos), como exemplificado a seguir:

1. Relação significativa
a. Lesão prévia;
b. Excesso de distância percorrida semanalmente;
c. Corrida Competitiva;
d. Pouca experiência de treinamento;

 

2. Relação não significativa
a. Idade;
b. Gênero;
c. Massa Corporal;
d. Superfície dura;
e. Corrida em subidas;
f. Período do dia e do ano;

 

3. Relação não clara e Contraditória
a. Exercícios de aquecimento;
b. Alongamento;
c. Estatura;
d. Assimetria de segmentos;
e. Frequência de treino;
f. Calçados;
g. Órteses;

 

No grupo de relações significativas com lesões, a característica do treinamento assume posição de destaque. Muitos autores que estudam o assunto citam que o aumento da distância percorrida semanalmente e a mudança repentina de hábitos de treinamentos são os principais fatores de risco de lesões, devido à dificuldade de adaptação dos tecidos às rápidas mudanças. Erros de treinamento como: não graduar a evolução dos treinamentos intervalados, o aumento da velocidade, a frequência e duração dos treinamentos são consideradas os principais responsáveis pelas instalações de lesões.

 

Diferentes métodos de treinamento com o objetivo de aumentar o rendimento na corrida podem ser observados na atualidade, como os intervalados, fartlek, longos, contínuos, etc., porém erros na elaboração e aplicação dos mesmos podem afastar o atleta dos treinos, ou de sua prova.

 

A aplicação de exercícios educativos com ênfase em correções dos movimentos, somado a treinamentos específicos de força, são consideradas ferramentas de treinamentos, novamente com a finalidade de otimizar o rendimento. A possível explicação para tal iniciativa é tornar o movimento energeticamente mais econômico através de alterações fisiológicas e biomecânicas.

 

Um treinamento bem elaborado é fundamental para a melhora do rendimento e longevidade na corrida. Nada de sair correndo por aí com altos volumes e aleatoriamente! Procure um profissional capacitado e tenha outros profissionais (médicos, nutricionistas, fisioterapeutas, etc..) para ajuda-los a ir mais longe e por muitos e muitos anos!

Rodrigo Lobo

Colunista

Bacharel em Educação Física pela Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo; Sócio diretor da Lobo Assessoria Esportiva; Palestrante de temas sobre qualidade de vida, treinamento esportivo e empreendedorismo; Colunista do portal Ativo.com e colaborador de diversos portais e revistas esportivas; Atleta amador de corrida de rua e triathlon, Contribui com o Trilo mensalmente com a coluna - DA TEORIA A PRÁTICA - tudo que precisamos saber para manter os treinos e a qualidade de vida!

One thought on “Lesões na corrida: O que devemos saber?

  1. Eleni Dias Santoro disse:

    Gostei muito das suas
    dicas, aumentou o
    conhecimento e
    prevenção , eu gosto de
    correr e bom saber cada
    vez mais os benefícios da
    corrida com cautela e
    cuidados vamos longe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *