O tempo é o mesmo para todos. Por que alguns desejam que o dia tivesse 26 horas, outros, 28 horas, e outros não adianta mais horas, que sempre faltará tempo para realizar as tarefas diárias?

 

A administração do tempo é um assunto muito explorado por diversos documentários, livros, filmes, textos, com as mais diferentes abordagens. Muitos livros de autoajuda, principalmente os voltados para a produtividade no trabalho, são best-sellers mundiais, mesmo assim por que temos tanta dificuldade assim em abrir algumas horas a mais no nosso dia para nos dedicarmos ao ócio, ou a aquilo que gostamos de fazer?

 

Não tenho tanta bagagem para me aprofundar no tema, mas gostaria de abri-lo para reflexão, ainda mais por ele ter relação direta com minha missão profissional e meu negócio, que é ajudar pessoas a adotarem e fixarem hábitos saudáveis de vida por meio da prática regular e bem orientada de atividade física.

 

A maioria dos pedidos de desligamento dos atletas de nossa equipe tem como principal justificativa a falta de tempo, ou por excesso de trabalho, ou por sobrecarga de trabalhos da pós-graduação, ou pelo maior tempo dedicado à família, e assim vai. Cada atleta que nos deixa, acaba me abalando emocionalmente, pois deixamos de ajudar diretamente uma pessoa a realizar suas metas e objetivos, ainda mais quando o motivo alegado é este.

 

Ao abandonar a atividade física, o sedentarismo toma conta, e já é de conhecimento de todos tudo o que ele causa em nossas vidas, doenças, problemas psicológicos, uma reação em cadeia que coloca em risco nossa saúde. Mesmo sabendo de todos estes problemas, por que ainda abandonamos os treinos pela falta de tempo? Será que existe mesmo falta de tempo?

 

A alta pressão do trabalho, o tempo gasto com redes sociais, a falta de motivação, a baixa produtividade, a falta de organização, o sedentarismo, os maus hábitos, a falta de orientação profissional qualificada, a dificuldade para sairmos do repouso, o estresse mental diário e a dificuldade em priorizar aquilo que é importante são as reais causas pelo abandono dos treinos.

 

O tempo é único, temos 24 horas por dia. Supondo que dedicamos entre 6 e 8 horas para o sono, nos resta entre 16 e 18 horas para dividi-las entre o trabalho, família, amigos, cuidado com a saúde, alimentação e outras necessidades básicas. Será que 16 ou 18 horas não são suficientes para gerenciarmos estas tarefas?

 

A grande questão é que ligamos o modo automático, apagando incêndios diários, sem tempo para nos organizarmos e pensarmos em estratégias de otimização do tempo, por meio de uma logística mais eficiente de deslocamentos, trabalho, planejamento doméstico e familiar.

 

Outra questão relevante é que sempre encontramos tempo para aquilo que valorizamos, seja sair com os amigos após o trabalho, assistir a partidas de futebol, séries, filmes e outros programas na TV, ir a o shopping, dormir mais e não acordar com o despertador. Enquanto isso, aquilo que é importante para nossa saúde física e mental acaba perdendo espaço em nosso dia-a-dia. Infelizmente, acordamos para este fato quando passamos por problemas sérios de saúde e/ou psicológicos, ou quando precisamos nos movimentar para algum momento sério de crise. Mesmo assim, quando estes momentos críticos passam, muitos voltam para a mesma zona de conforto de antes.

 

Após esta reflexão, será que o tempo é tão curto assim, que justifique deixarmos de lado aquilo que realmente nos faz bem? Realmente, é muito mais fácil abandonarmos uma batalha do que lutarmos bravamente, porém só saberemos se seremos vitoriosos se persistirmos nela.

 

Bora pra cima, galera!

 

Esta coluna é um oferecimento de BLOCKS. Uma barra de frutas e castanhas que não possui essências ou conservantes. Utilizam apenas matéria prima integral, sem adição de açúcar, glúten e lactose. Experimente, são produtos divertidos, acessíveis e com qualidade. Um snacks pronto para te acompanhar nos treinos, provas ou no dia a dia. 

 

Todos os produtos BLOCKS estão disponíveis no site do trilo e nas principais lojas do Brasil.

Rodrigo Lobo

Colunista

Bacharel em Educação Física pela Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo; Sócio diretor da Lobo Assessoria Esportiva; Palestrante de temas sobre qualidade de vida, treinamento esportivo e empreendedorismo; Colunista do portal Ativo.com e colaborador de diversos portais e revistas esportivas; Atleta amador de corrida de rua e triathlon, Contribui com o Trilo mensalmente com a coluna - DA TEORIA A PRÁTICA - tudo que precisamos saber para manter os treinos e a qualidade de vida!

3 thoughts on “FALTA DE TEMPO? SERÁ MESMO?

  1. Marcelo Mehlberg disse:

    A falta de tempo pode ser limitada devido a quantidade de compromissos da pessoa, mas vejo que pelo menos de 30min a 1h por dia a pessoa conseguiria se dedicar a atividade física, o que iria dificultar no caso de alguém que está treinando para o Triathlon, onde os treinos são mais extensos e “trabalhosos”, por conta de disponibilidade de equipamento, piscina, etc…

    O sedentarismo sempre é a opção mais “fácil”, mas nunca a melhor, todos temos compromissos e prioridades, mas dentro dessas prioridades se não estiver o esporte e sua saúde fatalmente não teremos “tempo” para treinar.

    Grande abraço Rodrigo! 👊🏻

  2. Nilson disse:

    Meu amigo lobo passei recetemente por uma mudanca de vida muito abrupta
    Mudei de casa de cidade e meu local de emprego. Na nova cidade, penedo estou me adaptando e buscando manter a pratica da corrida inclusive como forma de atenuar a solidão. Vejo como uma oportunidade na minha vida mas, tenho que confessar que sempre estou buscando ajustar minhas estrategias. Quando treinava em sbc sempre treinava de madrugada. Aqui ainda nao consegui voltar o ambiente e muito diferente entao o tempo so depende de mim.
    Estou com dificuldades de dormir hj estou buscando alternativas para voltar a correr de madrugada.
    Mas e uma luta constante e claro sinto falta dos amigos lobos
    Abracao a todos

  3. Emmanuel Rodrigues Marques disse:

    SIGO NA PRÁTICA ESPORTIVA DESDE MUITO CEDO, ESTIVE NO CICLISMO DE ALTA PERFORMANCE DURANTE VÁRIOS ANOS DE MINHA VIDA, E PARALELO AO CICLISMO, AINDA CONSEGUIA ENCAIXAR ALGUNS OUTROS ESPORTES QUE SEMPRE TIVE VONTADE EM PRATICAR, CONSEGUIA TEMPO SUFICIENTE POIS VIVIA PARA E DO ESPORTE. AOS 36 ANOS VEIO A “APOSENTADORIA”, NOVO CICLO DE VIDA, NOVO EMPREGO, ENTREI PARA INDÚSTRIA, JUNTO VEIO CASAMENTO, FILHOS…. MESMO ASSIM AINDA CONSEGUI ENCAIXAR MEUS TREINOS EM MEUS DIAS, PORÉM SABEMOS QUE A ROTINA NÃO É FÁCIL E NUM DETERMINADO MOMENTO, A COBRANÇA POR MAIS TEMPO PARA FAMÍLIA, A FALTA DE INCENTIVO E UMA TRANSFERÊNCIA PARA O EXTREMO NORTE DO PAÍS, QUASE NA DIVISA COM GUIANA FRANCESA, ONDE TUDO ERA MUITO DIFÍCIL… BATEU O DESÂNIMO E A DECISÃO DE SIMPLESMENTE PARAR. AÍ FOI MEU ERRO.. VIVI NA PRÁTICA ALGUMAS COISAS QUE O RODRIGO EXPÔS, CRISES DE ANSIEDADE, CONSEQUENTEMENTE GANHO DE PESO E QUANDO ESTAVA COM PÉ DENTRO DE UMA SÍNDROME DO PÂNICO, GRAÇAS A DEUS SAIU NOVA TRANSFERÊNCIA, DESSA VEZ PARA ESTADO DE SÃO PAULO, ONDE BUSQUEI AUXÍLIO MÉDICO E PSICOLÓGICO, SENDO O CONSENSO UNANIME DE AMBOS OS PROFISSIONAIS, “VOLTE A PRATICAR ESPORTE” E ASSIM O FIZ, PASSEI A ACORDAR MAIS CEDO PARA REALIZAR MEUS TREINOS, SAIR MAIS TARDE DO TRABALHO, PARA COMPENSAR OS MINUTINHOS MAIS TARDE QUE ENTREI NO ESCRITÓRIO PELA MANHÃ, VOLTEI A FAZER ACOMPANHAMENTO NUTRICIONAL E CLARO COM ESPIRITO COMPETITIVO QUE SEMPRE TIVE, VOLTEI AS COMPETIÇÕES, PARA DESAFIAR A MIM MESMO! HOJE SIGO NESSA ROTINA DIÁRIA, FELIZ, SAUDÁVEL E O MAIS IMPORTANTE SEM CRISES… A 8 MESES DECIDI COMEÇAR A CORRER TAMBÉM ME APAIXONEI PELA CORRIDA E ESTOU MUITO FELIZ EM PODER PRATICAR ESSES DOIS ESPORTES FANTÁSTICOS (CORRIDA e BIKE), SEMPRE MUITO BEM ASSESSORADO PELA LOBO ASSESSORIA ESPORTIVA.
    OS CAMINHOS MAIS FÁCEIS E MENOS TRABALHOSOS SÃO MAIS ATRATIVOS, PORÉM LÁ NA FRENTE O PREÇO QUE SE PAGA E SEMPRE MAIS CARO!
    É ISSO AÍ RODRIGO!!
    BORA PRA CIMA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *