Se você é fã de provas e tem um vasto currículo de corridas de 5, 10, 21 ou 42 k, certamente, vivenciou incontáveis situações diferentes, até mesmo nas mesmas provas em etapas diferentes. Agora, se você é triatleta, ou corredor de montanha, tudo isso pode ser elevado ao quadrado, no mínimo!

 

Existem muitas variáveis externas, que não temos algum controle sobre elas, que podem tornar cada evento único, como uma chuva forte, muito frio, calor infernal, uma condição perfeita, condições do piso, corrente marítima, intensidade e direção do vento, marcação de quilometragem, pontos de hidratação e alimentação, horário de largada, número de atletas, divisão dos pelotões de largada, grupos de atletas próximos a nós, altimetria, poluição, alta ou baixa umidade do ar, e assim vai.

 

Para complicar ainda mais e aumentar o número alto de combinações possíveis, existem fatores internos, aqueles relacionados a nós e que temos algum possível controle sobre eles, que tem influência significativa neste contexto, como a fase da periodização do atleta, dedicação nos últimos meses, a experiência de treinos e provas, conhecimento prévio da distância e da prova, condição física, dieta e descanso, influência de preocupações com o trabalho, família e diversas outras influências psicológicas (autoestima, autoconfiança, pensamento positivo ou negativo, garra e tolerância ao sofrimento, etc.), como foram as semanas e dias anteriores à prova, erros de planejamento, decisões equivocadas sobre equipamentos, roupas e acessórios, aprimoramento técnico, falta de planejamento da hidratação, alimentação e suplementação ao longo da prova, tomadas de decisões equivocadas, e muitos mais que eu não vou conseguir listar, senão o texto ficará grande demais.

 

A partir de todos estes fatores apresentados, sugiro uma ampla reflexão para entendermos o quanto precisamos levar a sério os treinos e cuidar de nossa saúde física e mental, com o objetivo de tentar reduzir os fatores de influência internos. Paralelamente, a experiência e a interpretação precisa de feedbacks de cada sessão de treino e de cada prova concluída nos ajudarão a saber lidar com os fatores externos e, consequentemente, a atingir nossos objetivos em um desafio que encaramos, seja ele qual for.

 

O mais interessante disso tudo é que jamais uma prova será, exatamente, igual a outra! Por isso, cada uma dela assume uma importância ímpar no processo de aprendizado e evolução, dificilmente enjoaremos de alguma, sem contar as incontáveis histórias que ficam em nossa memória e que temos para contar aos nossos parceiros de treino, e à nossa família.

 

Bons treinos e bora pra cima, galera!

 

Esta coluna é um oferecimento de IOGURTE MOO. O 1º iogurte tipo Skyr do Brasil com receita tradicionalmente islandesa.
Um iogurte dessorado feito com ingredientes simples: leite de vaca e fermentos lácteos, sem conservantes. No Moo os elementos sólidos do leite, como proteínas, sais minerais e vitaminas são concentrados, criando assim um superalimento. 

 

Todos os produtos MOO estão disponíveis nas principais lojas do Brasil.

 

Credito da foto - @ruasmidia

Rodrigo Lobo

Colunista

Bacharel em Educação Física pela Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo; Sócio diretor da Lobo Assessoria Esportiva; Palestrante de temas sobre qualidade de vida, treinamento esportivo e empreendedorismo; Colunista do portal Ativo.com e colaborador de diversos portais e revistas esportivas; Atleta amador de corrida de rua e triathlon, Contribui com o Trilo mensalmente com a coluna - DA TEORIA A PRÁTICA - tudo que precisamos saber para manter os treinos e a qualidade de vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *