Meu convidado de hoje é um atleta amador, porém, daqueles que leva tão a sério sua paixão pelo esporte, que por muito pouco não poderia ser considerado um profissional. E digo isso não por causa dos seus resultados, que aliás são bastante respeitáveis, mas principalmente pela sua devoção à uma modalidade que ganha cada vez mais destaque a cada ano. Minha teoria é de que nas últimas décadas, as Maratonas, conhecidas como as rainhas das corridas de rua, deixaram de significar o sonho de consumo de uma parcela significativa dos corredores amadores. Como se os 42.185 metros tivessem se tornado, digamos, curtos de mais!

 

As ultra maratonas, que sempre estiveram por aí, foram ganhando cada vez mais notoriedade, junto com o Ironman e toda uma variedade de opções de competições que duram, no mínimo, o dobro do tempo de uma Maratona. São eventos muitas vezes pequenos e para poucos! Uma das excessões nesta esfera das corridas de rua é a Comrades Marathon. E entre todos os latino-americanos que ousaram enfrentar os 90k desta prova realizada anualmente desde 1921 na África do Sul, meu convidado é o único que completou todas as 15 vezes que largou, e está a poucos dias de participar pela 16a. vez da prova, juntamente com mais de 18 mil outros corredores dos quatro cantos do planeta. Hoje ele contará aqui como está sendo esta incrível jornada de total dedicação. Tentarei entender de onde vem tanta força de vontade, disciplina e inspiração para ter dedicado os últimos 15 anos da sua vida a um único objetivo esportivo, uma única prova, da qual não por acaso também é um embaixador. Casado com a Josiane e pai da Carol, de 6 anos, ele concilia com aparente sabedoria sua vida familiar e profissional a uma rotina exaustiva de treinos.

 

Da adolescência como jogador de polo aquático, à patente de segundo tenente pelo CPOR-SP, quando passou a ter contato com a corrida, da passagem pelo triathlon até as Maratonas, da sua estréia na Comrades em 2001 à recente publicação do livro, best-seller, 90km. Com vocês, Paulo Renato Corrêa do Amaral.

 

Aproveitem!

 

 

Endörfina

Michel Bögli é um apaixonado por bicicletas e foi triatleta profissional entre 1988 e 1997. Venceu diversas provas, participou de alguns mundiais, incluindo dois Ironman do Havaí. Correu as primeiras provas de aventura por aqui, desde 1994 participou cinco vezes da Race Across America (RAAM) e em 2001, venceu a categoria duplas. Organizou diversas corridas de rua e provas de 24h de ciclismo, além de ter participado de quatro edições da Cape Epic. No Endörfina Podcast conversa com amigos e campeões do triathlon, corrida, ciclismo e natação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *