Chegou o mês de maio, sem dúvida o mês mais aguardado no triathlon nacional. É no final deste mês que ocorre o Ironman Brasil em Florianópolis. A prova super tradicional do calendário brasileiro reunirá mais uma vez centenas de triatletas em Jurerê, seja buscando uma classificação para o Mundial, pela superação, ou simplesmente pelo feito admirável de cruzar a linha de chegada após percorrer 226km.

 

Após meses ou mesmo anos de preparação, está chegado o grande dia. Os volumes dos treinos começam a diminuir drasticamente, ao passo que a ansiedade só aumenta. A frase que mais escuta se nessa fase é: “o que tinha de ser feito, foi feito” e, em termos de performance, realmente faz todo sentido. Mas cuidado! Será que não há nada que possa ser feito daqui em diante para melhorar ou piorar (rs) o desempenho no grande dia?

 

Todo trabalho pode sim ser prejudicado se não redobrarmos a atenção sob alguns detalhes muito importantes nessa reta final. A seguir listo os pontos que considero essenciais:

1. Pode parecer conversa, mas é a mais pura realidade; não testem novidades nessa reta final e muito menos do dia da prova. Sigam o plano que foi planejado e testado;

2. Separem os suplementos e alimentos que serão utilizados na prova e na véspera com antecedência. Não esperem encontrar determinado produto específico na Expo da prova.

3. Não façam restrições calóricas nessa reta final! A restrição pode causar uma queda de imunidade;

4. Cuidado para não descontar a ansiedade na alimentação ou nos treinos;

5. Prezem pela qualidade dos alimentos. Comam alimentos ricos em nutrientes;

6. Evitem bebidas alcoólicas, principalmente em dias de treinos longos;

7. Aproveitem os últimos treinos, ainda que curtos, para simular como será carregada a suplementação de prova. Seja colando itens no quadro, ou colocando nos bolsos;

8. Tenham em mente um plano A, um plano B e plano Z para o dia de prova;

9. Não tentem controlar o incontrolável. Se chover, choveu. Se fizer frio, se agasalhem. Se o pneu furar, troquem. Sejam autossuficientes e sigam em frente; e

10. Para finalizar, cuidem da mente, o fator psicológico é determinante em provas de endurance. Larguem felizes, motivados e aceitem sorrindo as dificuldades que a prova pode apresentar, com a certeza de que a linha de chegada virá e será inesquecível!

 

Boa prova!

Maria Cecilia Carvalho (Ciça)

Colunista

Nutricionista pela Universidade Presbiteriana Mackenzie – SP. Triatleta há 8 anos, 5x Ironman Kona Finisher e melhor tempo de uma amadora brasileira em Ironman. Contribui com o Trilo mensalmente com a coluna: NUTRIÇÃO E PERFOMANCE – Como uma boa alimentação pode auxiliar a longevidade no esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *