Com a chegada do inverno é comum vermos pessoas reclamando da dificuldade em sair para treinar, ou mesmo seguir uma dieta regrada nessa época do ano. Nas temperaturas mais baixas é comum e justificável o aumento da fome; alguns ajustes na dieta podem ser muito bem-vindos para encarar o frio, sem perder a linha.

 

O corpo naturalmente gasta mais calorias para manter a sua temperatura corporal estável no inverno. No caso de atletas, especialmente para treinamentos ao ar livre em baixas temperaturas, devemos tomar mais alguns cuidados.

 

No frio o consumo de carboidratos como substrato energético durante a atividade física é maior e o glicogênio muscular também se esgota mais rapidamente. A degradação proteica também pode ser aumentada nessas condições. Ou seja, o corpo é menos “econômico” no inverno. Provavelmente serão necessários ajustes na oferta de carboidratos e proteínas sejam antes, durante ou após o treino.

 

O inverno exige cuidados redobrados com a hidratação, já que o clima frio gera a falsa sensação de que o corpo precisa ingerir menos líquido. Assim como no verão, a prática de atividades físicas favorece a perda de líquido por meio da transpiração. Como a temperatura corporal baixa reduz a percepção de sede, muitas pessoas começam o treino já desidratadas. Portanto, uma dica fundamental para manter o corpo bem hidratado em temperaturas baixas, é a ingestão de água antes, durante e após os exercícios. Durante o treinamento os eletrólitos perdidos com o suor também devem ser repostos e as melhores alternativas são as bebidas hidroeletrolíticas. Outra dica para manter o corpo bem hidratado, ainda que diminuída a sensação de sede, é aumentar o consumo de determinados alimentos “mais líquidos” e bebidas quentes ao longo do dia.

 

As baixas temperaturas tendem a trazer consigo também o aumento dos casos de gripes e resfriados. E a imunidade bem cuidada é peça chave nessa fase para evitar qualquer transtorno. Fique atento à sua alimentação e priorize uma boa quantidade de vitaminas e minerais, ou seja, uma variedade de verduras, legumes e frutas. Uma boa alternativa no inverno são as preparações quentes e as sopas, pois além de auxiliarem na hidratação, facilitam a ingestão de verduras e legumes. Para “esquentar” as preparações, a sugestão são temperos mais picantes e termogênicos, como gengibre, pimenta, curry e canela.
Em suma, atenção à alimentação e à suplementação nos dias mais frios e se mantenha focado. Alguns ajustes devem ser feitos em busca da melhora na performance em treinos e competições nessas condições. E é válido sempre relembrar, se proteja do frio e treine com roupas apropriadas

Maria Cecilia Carvalho (Ciça)

Colunista

Nutricionista pela Universidade Presbiteriana Mackenzie – SP. Triatleta há 8 anos, 5x Ironman Kona Finisher e melhor tempo de uma amadora brasileira em Ironman. Contribui com o Trilo mensalmente com a coluna: NUTRIÇÃO E PERFOMANCE – Como uma boa alimentação pode auxiliar a longevidade no esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *