Um estudo britânico analisou ciclistas amadores e comprovou que é possível manter os músculos e o sistema imune mais jovens através do esporte.

 

A forma como nosso corpo responde ao tempo pode diferir. Considerando que a minoria das pessoas acima de 65 anos realizam atividade física regular (menos de 10%), os pesquisadores quiseram verificar se essa atividade influenciaria no envelhecimento.

 

Os indivíduos do estudo eram homens (n=84) e mulheres (n-=41) entre 55 e 79 anos que já pedalavam há mais de uma década e que pedalavam pelo menos 400 milhas por mês. Nenhum deles era profissional.

 

O primeiro estudo, publicado em 2014, comparou a capacidade física e cognitiva desses atletas com a população sedentária na mesma faixa etária e também com jovens. Os ciclistas demonstraram ter melhores reflexos, memória, equilíbrio e perfil metabólico que os idosos sedentários. Um perfil semelhante ao do grupo de jovens de 30 anos. Alguns dados interessantes são que os ciclistas tinham uma capacidade de processamento de informação mais alta, menores escores de ansiedade e depressão, e maiores índices em escores de qualidade de vida.

 

No Segundo estudo, publicado nesse ano (2018), os mesmos pesquisadores analisaram aspectos musculares e celulares dos ciclistas, através de biópsias das pernas e análise sanguínea de 90 ciclistas. A conclusão foi que os ciclistas idosos não são iguais aos jovens. Eles são biologicamente melhores!

 

A composição muscular dos ciclistas não apresenta as degenerações notadas no grupo sedentário. O sistema imune também tem uma resposta muito melhor, com maior concentração de linfócitos T no sangue, evitando assim doenças autoimunes.

 

Ou seja, agora está comprovado que a atividade física vale a pena, e muito se você já passou dos 65 anos. #foreveryoung!

 

Referências:

  1. An investigation into the relationship between age and physiological function in highly active older adults. RD Pollock, S Carter, CP Velloso et al - The Journal of Physiology, 2015
  2. Properties of the vastus lateralis muscle in relation to age and physiological function in master cyclists aged 55–79 years. RD Pollock, KA O'Brien, LJ Daniels, KB Nielsen et al - Aging Cell, 2018

Luciana Haddad

Médica Cirurgiã, Doutorado e Pós-doutorado pela Faculdade de Medicina da USP, Orientadora do Programa de Pós Graduação da FMUSP. Triatleta e corredora amadora, 2x Ironman Kona Finisher! Contribui com o Trilo quinzenalmente as sextas feiras, no modelo de infográfico, com a coluna: O ESPORTE BASEADO EM EVIDÊNCIAS - Como traduzir a ciência para a prática esportiva? Uma maneira inteligente de tomar decisões individualizadas, norteando-se por conceitos científicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *