De nada adianta ter uma super bike, um equipamento dos sonhos, e deixar de treinar. E é por isso que muitas tentativas e retomadas acontecem ao longo de cada temporada.

 

Sejam atletas amadores, em busca melhores resultados de condicionamento ou em competições, sejam ciclistas profissionais, que almejam o lugar mais alto do pódio, uma boa periodicidade nos treinos será o fator motivacional para tirá-los do conforto.

 

Para que sua temporada comece bem, desenhe um bom cronograma com as metas que tem em mente. E, independentemente de o objetivo ser um tempo melhor em um determinado percurso ou um bom resultado de competição, vale traçar uma escala de prioridades, sempre buscando o que é real e possível.  Afinal, não adianta achar que você vai virar um atleta olímpico da noite para o dia.

 

Passo a passo para bom 2018:
- Renove acessórios, revise a bike e substitua aquele material que não está em boas condições. Até mesmo a troca ou a compra de equipamentos motivarão você em 2018.
- Faça uma busca nos calendários, encaixe provas e treinos que farão a diferença e que serão o gatilho para uma nova fase.
- Converse com seu treinador e desenhe um plano de treinos. Lembre-se de que se você está parado, terá de ir no passo a passo para não derrubar sua imunidade e para crescer gradativamente em cada setor.
- Faça simulados de cada prova que pretende participar. Com isso, novas referências virão e você poderá se surpreender quando perceber que pode render muito mais.

 

Comece pela BASE!
Mas, como assim, a BASE? O próprio nome já diz, é preciso trabalhar os fundamentos básicos. E, por mais que você tenha anos de experiência, o corpo precisa passar por reciclagens e reforços. Com o tempo, vamos viciando nosso corpo em alguns movimentos que podem nos levar à perda da máxima eficiência mecânica.

 

Nesse período, treinos técnicos de cadência, trabalhando desde RPMs baixos até super altos (como 110-120), ajudarão no preparo ao longo da temporada. Fases de força também entrarão nesse ciclo, mas sempre de forma moderada. Outro ponto importante são os treinos longos, que trazem um bom condicionamento e deixam a parte aeróbica bem preparada para receber os próximos passos da periodização.

Igor Laguens

Colunista

Educador Fisico, Certificado por Training Peaks, Endurance Coaching Summit, Serrota International Cycling Institute e Bikefit.com. Ciclista há mais de 17 anos, embaixador do Haute Route no Brasil, contribui com o Trilo quinzenalmente as terças feiras com a coluna: OS SEGREDOS DO CICLISMO DE ESTRADA – força com controle.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *