Uma das grandes evoluções no ciclismo, além do material da bicicleta, como alumínio, titânio e hoje o carbono, foi o medidor de frequência cardíaca e depois os medidores de cadência. Ou seja, uma ferramenta que vem sendo aprimorada e hoje é fundamental quando se fala de treinamento.

 

Sabemos que cada indivíduo tem uma genética, uma aptidão, uma predominância de determinados tipos de fibras musculares e isso ajuda muito a decidir qual a melhor cadência para cada pessoa e modalidade.

 

Algumas definições que ajudam a entender um pouco sobre o RPM, é o tipo de fibra muscular:

 

Fibras Tipo 1 - Contrações lentas, normalmente longa duração e de resistência, ideal para atividades aeróbias.

 

Fibras Tipo 2A/2B - contrações rápidas e normalmente para um sprint, ideal para atividades anaeróbias.

 

Ciclistas de Estrada: normalmente possuem predomínio de fibras tipo 1 e RPM alto ( 85-100),

 

Ciclistas de MTB: RPM varia muito, pois estão constantemente em subidas e descidas, mas em média se gira mais no plano e tenta manter um bom RPM na subida, mas como existem trechos com alto grau de inclinação, o RPM as vezes cai para 50-60.

 

Triathlon: Há anos se discute o assunto, mas com o uso dos medidores de FC e potência, pode-se dizer que os números ideais são entre 80-90rpm, sendo 80 a 85 os campeões, pois há uma menor fadiga e conclui-se que o atleta sai mais “solto” para a corrida.

 

Cadência x Frequência Cardíaca x técnica de pedalada
Uma coisa que podemos afirmar é que um está diretamente ligado a outro. Muitas vezes vemos ciclistas girando a 110-120rpm o que na maioria das vezes mais prejudica do que auxilia a pedalada. Quando a cadência é muito alta, o estilo da pedalada muda. Se levantarmos o calcanhar, perde-se um pouco da eficiência e se usa mais a musculatura posterior como a panturrilha. Algumas pessoas, normalmente as mais baixas e mais fortes, tem uma pedalada mais travada 75-85rpm e usam muito bem a musculatura do quadríceps e glúteos.

 

Existe uma técnica e uma cadência perfeita?
Sim, existe e você aprenderá com o tempo qual é a sua e quais adaptações você deverá fazer na sua bike, se será com pedivela compacto, tradicional ou “mid compact”. O que se deve saber é que quanto maior a cadência, maior a frequência cardíaca, então atenção aos trinos, teste todas as opções e veja qual é a que o seu corpo se adapta e funciona de uma maneira mais eficiente.

Igor Laguens

Colunista

Educador Fisico, Certificado por Training Peaks, Endurance Coaching Summit, Serrota International Cycling Institute e Bikefit.com. Ciclista há mais de 17 anos, embaixador do Haute Route no Brasil, contribui com o Trilo quinzenalmente as terças feiras com a coluna: OS SEGREDOS DO CICLISMO DE ESTRADA – força com controle.

4 thoughts on “Qual a melhor cadência no pedal?

  1. Marcelo disse:

    Texto didático e de fácil leitura.
    Parabéns a Trilo e ao Igor!

    1. Trilo disse:

      Obrigado Marcelo,

      A ideia é esta mesmo. Textos diretos e objetivos.

      continue conosco!

      Abs

  2. Marcel disse:

    Ótima matéria. É de muito
    aproveito saber do assunto e se
    for possível aprofundar mais o
    assunto no quesito de cadência
    para a maior potência, se existe
    relação .

    1. Trilo disse:

      Bom dia Marcel,

      vamos encaminhar sua demanda ao Igor e assim que possível publicaremos novos textos abordando o assunto.

      Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *