Lactato é um substrato formado a partir da quebra da glicose durante o processo muscular de obtenção de energia. Esta reação química ocorre em toda forma de atividade física, sendo encontrado em maior quantidade em atividades de maior intensidade.

 

A elevada concentração de ácido láctico no músculo e, consequentemente, na corrente sanguínea está bastante relacionada a fadiga. Veja bem... à fadiga e não às dores musculares após o exercício.

 

Limiar de Lactato é um conceito bastante aplicado ao treinamento. Ele se relaciona ao ponto, ou melhor, a intensidade na qual a capacidade de utilização e/ou remoção do lactato não é suficiente para evitar o aumento exponencial do mesmo. Conhecer este limiar é, portanto, importante para quem quer traçar ritmos de treinamento e até mesmo de recuperação próximos a seus limites, minimizando os riscos de ultrapassá-los. Com este número, é possível avaliar, monitorar, controlar e melhorar os potenciais e necessidades de cada pessoa.

 

Há atualmente diferentes maneiras de se obter o Limiar de Lactato. O método mais utilizado é através de protocolo de campo que se utiliza da coleta de pequena amostra de sangue capilar (retirado do lobo da orelha externa ou mesmo da ponta do dedo). Para isso, basta uma pequena máquina portátil e o conhecimento sobre suas zonas de treinamento. Este simples e pratico teste é capaz de gerar importantes dados que farão do seu treinamento e sua prova um tiro ainda mais certeiro.

Gustavo Magliocca

Colunista

Médico do Exercício e do Esporte pelo Hospital das Clínicas, USP. Médico titular da seleção brasileira de Natação nos Jogos Olímpicos de Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016). O “Doc” como é conhecido contribui com o Trilo quinzenalmente as segundas feiras com a coluna: MITOS E VERDADES DA PERFORMANCE NO ESPORTE - tudo que de fato é real ou apenas boato no esporte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *