Treinamento de base é sempre uma enorme incógnita: metas mais audaciosas, vontade de treinar bombando e … o corpo que parece não estar conversando com o cérebro. A dificuldade de voltar na mesma página que terminamos o último ciclo é resultado do destreinamento gerado pelo OFF Season. Isso não requer desespero, não perdemos as bases condicionais acumuladas ao longo de árduas sessões de treinos, apenas necessitamos dar um passo atrás para podermos dar dois a frente!

 

A sensação de maior dificuldade que temos na retomada dos treinos é decorrente do aumento da carga interna, isto é, para uma mesma Carga Externa (mesmo treino) nosso corpo responde com maior componente de fadiga - a frequência cardíaca fica mais alta, a mecânica parece não encaixar, a sensação de esforço é muito maior e o tempo de recuperação aumenta - muito prazer: Carga Interna!

 

Quanto maior a carga interna, maior a resposta adaptativa que será iniciada pelo organismo. À medida que o processo adaptativo for ocorrendo e os treinos forem sendo acumulados, respeitando este período, o condicionamento vai retornando e, melhor do que isso, o corpo vai se preparando para estímulos ainda maiores.

 

Importante respeitar este período adaptativo. Forçar treinos sob condições de carga interna elevada pode representar lesões logo no início do ciclo de treino! Daí a importância de se planejar um pré-temporada, uma fase de cargas progressivas com a finalidade de buscar as bases condicionais geradas pelo acúmulo dos ciclos anteriores. Mas quanto tempo devemos planejar para esta tal adaptação ? Isso vai depender do tempo de destreino, do nível de condicionamento prévio e do estado de saúde do atleta.

 

Uma boa Pré-Temporada deve sempre começar com um bom desenho do seu Status Fisiológico: análises morfológicas (por exemplo de composição corporal), avaliações bioquímicas e cardiológicas, testes condicionais e análises mecânicas.

 

Tais análises não vão apenas te dar segurança para iniciar com tudo a temporada, mas permitirão planejar o tempo do período de adaptação e, principalmente, permitirão entender a distancia que esta da sua meta facilitando, e muito, a organização do seu treino.

 

Saber de onde esta partindo além de permitir uma maior eficiência na periodização do treinamento, deixa o processo mais claro, diminuindo ansiedades e frustrações futuras.

 

Na minha opinião, gostar do Esporte não é querer treinar forte o ano todo e sim, buscar a evolução constante com a prática.

 

Bons treinos e até a próxima!

Gustavo Magliocca

Colunista

Médico do Exercício e do Esporte pelo Hospital das Clínicas, USP. Médico titular da seleção brasileira de Natação nos Jogos Olímpicos de Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016). O “Doc” como é conhecido contribui com o Trilo quinzenalmente as segundas feiras com a coluna: MITOS E VERDADES DA PERFORMANCE NO ESPORTE - tudo que de fato é real ou apenas boato no esporte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *