No dia-a-dia do consultório escuto muita gente perguntando sobre a intensidade ideal do treino longo. O intuito deste texto não é dizer o que é melhor ou pior, muito menos como deve ser feito, mas responder as principais dúvidas no aspecto fisiológico que recebo de atletas amadores.

 

Como costumo dizer, o treino longo é parte complementar do microciclo semanal, as cargas relativas a este treino se somam às cargas dos outros treinos (Fartlek, Tiros, Tempo Run etc), desta forma a intensidade ideal de se fazer o longo é aquela que mais esteja de acordo com o acúmulo gerado do processo adaptativo proposto ao longo da semana.

 

Para se fazer mais fácil o entendimento, se ao longo das semanas foi-se trabalhando ritmos com elevado acúmulo e maior tempo para adaptação, por exemplo, Z6 - Z5 - Z4 é esperado que o treino de maior volume receba em planilha uma intensidade menor tipo Z1 - Z2. Caso contrário, é esperado que os longos sejam feitos em Z3. Mas Doc, meu treinador não deveria me fazer correr no ritmo da prova? Não!!! Seu treinador deve te treinar para correr a prova no ritmo alvo e isso, não quer dizer ficar correndo somente no ritmo da prova.

 

Insisto … Doc, mas se eu corresse 50 - 60km no ritmo que eu quero fazer a prova, não é mais garantido que eu chegue lá e consiga? Não!!! Quanto maior a monotonia de um ciclo de treinamento (menores variações de estímulos), menores serão os ganhos condicionais e sabe por que? Porque o nosso organismo responderá sempre da mesma forma (carga interna baixa) e como sempre digo neste Blog o segredo de um bom treinamento é provocar um estresse fisiológico (carga Interna), pois são as respostas internas que farão com que ganhamos condicionamento.

 

O temor de entrar em monotonia é tão grande, que muitos treinadores costumam, inclusive em treinos de maior volume, variar velocidades construindo, assim, um treino com intensidades que variam do Z1 até Z4.

 

Na Ciência do Esporte é um grande Mito querer obter conceitos imutáveis, uma vez que a grande base desta é a Individualidade Biológica, da mesma forma que é uma grande Verdade que atletas que se julgam auto-ditada e não seguem uma periodização de estímulos acabam caindo na monotonia e nunca saindo do lugar, ou mesmo acabam exagerando nas cargas e se lesionando.

 

Por isso digo:

1. saiba intimamente suas zonas de intensidade e as pratique conforme prescrito na planilha. Dar seu melhor é buscar o seu melhor DENTRO DA ZONA DE INTENSIDADE PRESCRITA

 

2. discuta suas metas com seu treinador e encare seus treinos como uma soma de cargas que lhe levarão ao objetivo da prova!! Ninguém faz a prova em um treino e sim a prova é construída na soma dos treinos

Gustavo Magliocca

Colunista

Médico do Exercício e do Esporte pelo Hospital das Clínicas, USP. Médico titular da seleção brasileira de Natação nos Jogos Olímpicos de Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016). O “Doc” como é conhecido contribui com o Trilo quinzenalmente as segundas feiras com a coluna: MITOS E VERDADES DA PERFORMANCE NO ESPORTE - tudo que de fato é real ou apenas boato no esporte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *