Ser um dos organizadores do Fodaxman e poder participar da prova também como a atleta é uma experiência única pois permite curtir – e avaliar – a prova sob duas perspectivas diferentes.

 

Na edição de 2018 tivemos uma alteração significativa ao transferirmos o local da natação para a Barragem São Bento no município de Siderópolis. Esta mudança se mostrou adequada e aprovada por vários motivos:

 

• O novo local é lindo, com a paisagem da serra ao fundo e com direito a uma torre da igreja do vilarejo submerso no centro da barragem;
• Há mais espaço para a área de transição e para os veículos dos staffs dos atletas;
• O novo percurso permite que os staffs de atletas, amigos e familiares acompanhem boa parte da etapa da natação na margem;
• O novo local está bem próximo ao município de Nova Veneza que, além de possuir ótima infra-estrutura hoteleira e gastronômica, recebeu a organização e atletas de braços abertos;

 

Além disto, por conta da mudança do local da natação, os primeiros 20km do percurso de ciclismo também foram alterados. E de quebra ainda ganhamos mais altimetria. E se tem uma coisa que deixa uma prova de xtreme triathlon ainda melhor é mais altimetria no percurso!

 

Como organizador, a principal preocupação é que não haja nenhum problema com os atletas, principalmente com relação à segurança. O tráfego liberado de veículos, a alta velocidade dos atletas nas longas descidas e a logística complexa por ser uma prova ponto a ponto são os principais complicadores. Felizmente nenhum dos atletas precisou dos serviços das 2 UTIs móveis que os acompanharam por toda a prova e a equipe médica não teve nenhum atendimento sério.

 

O dia estava lindo e duro como uma prova de xtreme triathlon deve ser. Logo cedo os atletas perceberam que seria um dia muito quente e que o sol nos castigaria durante boa parte do dia. A Serra do Rio do Rastro mostrou toda sua majestade para os atletas e não perdoou quem a subestimou.

 

Foi muito bacana e gratificante testemunhar entre os atletas e seus staffs o espírito de camaradagem que é um dos valores do Fodaxman. Cada atleta preocupado apenas em desafiar o percurso e curtir cada momento da prova.
O forte calor até o início da corrida deu lugar à uma tempestade com direito à granizo e neblina, deixando o Fodaxman 2018 ainda mais difícil e especial. Os números comprovam a dureza da prova : dos 42 atletas que largaram, apenas 27 se tornaram finishers.

 

Com relação às primeiras posições, como já era esperado, no masculino Tiago Menuci liderava desde a natação e manteria a liderança até a parte final da corrida. Zinho fez uma prova de recuperação cravando o melhor pedal da prova e diminuindo a distancia para o Menuci, para finalmente alcança-lo no início da subida do Morro da Igreja no km 26 da corrida. Após pouco mais de 12 horas o Zinho registrou o recorde da prova e se tornou o campeão do Fodaxman 2018, com Menuci terminando em 2o. Muito importante também ressaltar a performance do Rafael Pina, também um dos organizadores do Fodaxman, que com uma prova muito regular garantiu o 3º lugar entre os homens; mesma posição que já havia conquistado nas duas edições anteriores do Fodaxman.

 

No feminino testemunhamos uma performance avassaladora da Luiza Tobar. Todos nós a considerávamos a grande favorita no feminino mas ela simplesmente destruiu ! É impressionante como ela é uma fortaleza mental para suportar o sofrimento e a dor. A Luiza terminou em 3º lugar geral com direito a não caminhar em nenhum metro dos 16km finais da subida do Morro da Igreja. Quem conhece o Morro da Igreja sabe o tamanho desta proeza ! Me recordo que num texto que escrevi em setembro aqui na coluna do Trilo arrisquei em afirmar que logo veremos uma mulher como vencedora geral de uma prova de xtreme triathlon. A Luiza provou que não estamos longe disto acontecer.

 

Aliás, como organizador e atleta, fico muito contente em ver a participação feminina aumentando no Fodaxman. Em 2018 tivemos 5 atletas mulheres, sendo 2 top finishers e 2 base finishers. Na edição de 2019 – que já está com as datas da prova e a da abertura do processo seletivo divulgadas – esperamos que a quantidade de mulheres aumente bastante.

 

Quanto à minha performance, ficou abaixo da minha expectativa. Mas no Fodaxman o mais importante é curtir a prova, apreciar a paisagem maravilhosa e curtir os amigos. E isto eu fiz muito !

 

Esta coluna é um oferecimento de HAWI ATHLETIC SUPLLY. A HAWI é uma marca casual e lifestyle criada para você que vive o esporte.

 

Foto : Serra do Rio do Rastro durante o Fodaxman 2018  by Romulo Cruz - Flows

Fernando Palhares

Colunista

Fernando Palhares (@xtri.man) é triatleta há mais de 14 anos. É um dos organizadores do Fodaxman, a primeira prova de xtreme triathlon da América Latina. Foi o primeiro atleta não-europeu a participar do Alpsman (França), é o atual vice-campeão do Fodaxman (Brasil) e melhor atleta latino-americano na história do Swissman (Suíça). Está em constante contato com os organizadores de algumas das principais provas de xtreme triathlon ao redor do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *