Foi com alegria que recebi o convite para escrever no Trilo a respeito do meu assunto favorito: viagens esportivas. Não só por fazer parte da minha rotina de negócios a frente da 7sherpas, mas também, por envolver o assunto que mais me fascina e que move a minha vida há muitas décadas.
 

Carrego comigo uma bagagem extensa de anos dedicados ao esporte, tanto no lado pessoal quanto no profissional. Há quase 20 anos, dei vida ao portal esportivo ativo.com (sim, você já visitou o portal para se inscrever em alguma prova ou para comprar uma foto da sua chegada naquela maratona inesquecível). Bem antes disso, eu já me aventurava como um bom triatleta “amador esforçado” (aquele que nunca foi agraciado com o dom necessário em nenhuma das 3 modalidades) e mesmo assim, completei 10 IronMan, incluindo 3 em Kona (Havaí) e inúmeros mundiais de 70.3 e XTerra.
 

Não faço parte da "Era Jurássica" do triathlon. Devo estar na segunda ou terceira geração. Porém, ao longo destes 20 anos, presenciei muitas mudanças no esporte: a chegada das bikes TT, as modernas roupas de natação (fiz muitas provas de sunga), a ascensão dos superstars profissionais (na minha época, Mark Allen era o cara - Paula Newby Fraser era a mina ), a variedade surreal de suplementos (quando eu conseguia encontrar, tomava um squezy e comia Powerbar, só de chocolate ), o vício do Garmin (sou da época do bom e velho Cateye ), não tinha Instagram nem Facebook - só você sabia o quão duro tinha sido aquele pedal ou o quão linda era a paisagem durante a sua corrida. E o mais importante, só fazia uma prova de IronMan quem já estava bastante calejado no triathlon.
 

Compressão? Potência? GPS? Facebook? Instagram?
Os tempos são outros. Mas não foi só o equipamento, a nutrição e os ídolos que mudaram.
O perfil do triatleta também mudou.

 

A essência, o legado e os benefícios que o esporte oferece (saúde, liberdade, contato com a natureza, possibilidade de conhecer novos lugares e novos amigos) estão sendo substituídos por uma obsessiva busca pelo melhor look, melhor post, maior número de likes, shares, volume de medalhas, etc. O que tenho visto por aí é uma legião de esportistas amadores com postura de profissional, deixando para traz todo o prazer e diversão da prática esportiva.

 

Cruzar a chegada de uma prova como o Iron Man, acredite, é maravilhoso. Se você já sentiu na pele esse momento (e se arrepiou só de relembrar), sabe bem do que estou falando. Mas existe um mundo incrível aí fora, cheio de outros desafios e encantamentos. É preciso aproveitar a linda jornada que só o esporte e o estilo de vida do triathlon te proporcionam.
 

Perdeu a conta de quantas provas de IronMan você já fez ou de quantas Maratonas na mesma cidade já correu? Era para ser um prazer saudável, mas se tornou uma obrigação, quase um vicio? Reveja suas bases.
 

Mude sua rotina, inscreva-se naquele short ou olímpico, programe uma viagem de bike para as montanhas, leve com você aqueles que você ama e que sempre estiveram te apoiando, debaixo de sol e de chuva. O esporte é como um livro. Se você não virar a página ficará para sempre na mesma história. Converse com quem costuma viajar para praticar esportes. Repare no brilho dos olhos e na alegria de quem viveu uma experiência única - é desse brilho nos olhos que estamos falando desde o começo deste texto!

 

Use o tempo como seu aliado. Compromissos, responsabilidades e rotina estarão sempre no mesmo lugar. Eles não são uma barreira para que você realize seus sonhos. Planejamento e determinação fazem parte da minha época do triathlon e até hoje são úteis quando tenho um objetivo.

 

Tenha uma meta. Conheça um lugar novo a cada ano. Um lugar que só o esporte poderá te ajudar a explorar. Viva essa experiência e renove as suas bases. Afinal de contas, a vida é agora.
 

Explore seu mundo.
O esporte é o seu passaporte.

Chris Kittler

Colunista

Chris Kittler é fundador & CEO da 7sherpas, triatleta há 20 anos, 10 vezes Ironman no Hawaii e no mundo, co-fundador do portal Active.com e fundador do Grupo ativo.com. Tornou-se referência e formador de opinião entre os grandes players do mercado de esportes de endurance. Contribui com o Trilo mensalmente com a coluna: O ESPORTE É O SEU PASSAPORTE - Explore o mundo e conheça lugares incríveis!

13 thoughts on “Existe vida além do IRONMAN?

  1. RITA DE CASSIA SVERSUT APPEZZATO disse:

    Oi, Chris! Excelente texto, se a gente não se policiar acabamos sendo influenciado por esta obsessão e realmente esquecemos o verdadeiro sentido do esporte! Parabéns!!

    1. Obrigado Rita. O esporte faz bem para o corpo e para a alma… equilibrio é fundamental! Bons treinos!

  2. Danilo Faria disse:

    Gostei muito de ler este artigo. Descobri na corrida de rua e pedais de lomga distância uma paixão. Espero um dia realizar meu sonho do Iron Man Brasil.

  3. Danilo Faria disse:

    Gostei muito de ler este artigo. Descobri na corrida de rua e pedais de lomga distância uma paixão. Espero um dia realizar meu sonho do Iron Man Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *