Desde o começo do ano tenho trazido aqui, em artigos mensais, habilidades imprescindíveis a serem desenvolvidas para que se possa obter o melhor resultado, seja no esporte, no trabalho ou na vida.

 

Uma está intimamente ligada à outra. A falta de atenção a alguns desses aspectos impacta diretamente nos demais e assim, por consequência, na performance.

 

Se ainda não leu os artigos anteriores, recomendo que o faça, assim saberá como extrair seu máximo potencial em todas as ocasiões:

  1. importância de manter o foco
  2. resiliência mental
  3. mudar o mindset (atitude mental) para nos mantermos no curso e realizar as nossas metas.
  4. Engajamento
  5. Nível de Energia
  6. Habilidade de relacionamento
  7. Autoconfiança
  8. Autosuperação

 

Neste artigo vou falar sobre um desses pilares, que para mim é o início de tudo e o pilar mais importante: o autoconhecimento.

 

Segundo o dicionário, autoconhecimento é o conhecimento de si mesmo, das próprias características, sentimentos, inclinações.

 

Trabalhando há dez anos na área de desenvolvimento humano e alta performance, entendo que autoconhecimento é sinônimo de poder.

 

Para início de conversa, se não conseguimos nos entender, não conseguiremos nem mesmo avaliar os demais pilares e como estamos nos desempenhando em cada um deles, nos privando da oportunidade de melhorarmos e evoluirmos.

 

É uma das habilidades mais importantes para se conquistar o sucesso e necessária para tudo: investimento, trabalho, relacionamento, esporte, escolhas em geral.

 

A forma como você se comporta e responde a situações externas é regida por processos mentais internos, e conseguir identifica-los e compreende-los é essencial para ter uma vida mais saudável, equilibrada e de resultados.

 

É se conhecendo que você também toma conhecimento de suas metas, objetivos, propósitos, repensa suas atitudes, potencializa sua coragem, reconhece e aceita suas emoções negativas e trabalha para que sejam modificadas.

 

É essencial para alcançarmos resultados extraordinários. Permite que descubra suas qualidades, habilidades, bem como pontos que devem ser melhorados.

 

Lhe dá clareza para lidar com os conflitos internos e externos, que muitas vezes minam os resultados no esporte, no trabalho e na vida. Sem o autoconhecimento nem nos damos conta disso, e assim mantemos o comportamento ou hábito desfavorável. O autoconhecimento lhe permite identificar padrões de pensamentos e os hábitos pessoais e, a partir daí é possível melhorar suas respostas comportamentais e tomadas de decisão.

 

Sem o autoconhecimento tratamos efeitos, sintomas e não as verdadeiras causas.

 

Há um ditado africano que gosto muito e reflete o que acontece quando nos conhecemos melhor: “quando não há inimigo dentro, os inimigos de fora não podem fazer nenhum mal.”

 

Conhecer a sim mesmo possibilita controlar pensamentos e hábitos destrutivos e assim evitar que eles impactem negativamente nossas vidas. Quantas vezes agimos totalmente oposto dos nossos objetivos e metas? Quantas vezes nos sabotamos pelo mindset errado?

 

Várias vezes durante o dia passamos pelo processo de querer, pensar, sentir e fazer. Sem o autoconhecimento esse processo fica desconexo. Queremos uma coisa, pensamos outra, sentimos outra diferente e agimos totalmente contrário.

 

Como trabalho com pessoas, vejo isso acontecer diariamente. Para exemplificar: uma pessoa quer fazer uma prova de triatlhon de longa distância e para isso precisa de mais dinheiro para equipamentos, nutrição, testes específicos e também precisa de mais tempo para se dedicar aos treinos, logo em seguida a este pensamento, resolve ter um cachorro, que ocupará mais do seu tempo, energia e gerará gastos. Ou seja, não há coerência alguma.

 

Por outro lado, se a pessoa está conectada consigo mesma, terá mais clareza ao estipular suas metas, fará escolhas assertivas e se realizará mais. Neste caso talvez ter um cão realmente seja algo que lhe trará satisfação, mas que pode ser adiado para depois que conquistar seu sonho.

 

Ou não, talvez fique claro que ter o cão será mais satisfatório que fazer um IronMan. Tudo bem também, desde que isso esteja muito claro. E é isso que o autoconhecimento traz: clareza. “Num mundo inundado de informações irrelevantes, clareza é poder”. (Yuval Noah Harari)

 

Pesquisas mostram que nossas escolhas são emocionais. Não conseguimos explicar por que fizemos uma escolha, porém isso não acontece quando temos consciência sobre nós mesmos. Nossas escolhas se tornam mais racionais e com isso poupamos dinheiro, tempo, energia e ganhamos em resultado e realização.

 

Para ajudar neste processo de se conhecer mais, aqui vão alguns exercícios:

1) Diga “não” a si mesmo. Aprenda a dizer não e adiar a gratificação a curto prazo e assim irá favorecer o ganho a longo prazo. Quanto mais pratica dizendo não a pequenos desafios diários, melhor você poderá passar pelas grandes tentações.

2) Seja responsável perante suas falhas. Ninguém é perfeito. Crie o hábito de reconhecer e se responsabilizar pelas suas falhas, ao invés de dar desculpas. Aprenda com seus erros.

3) Monitore seu diálogo interno. Preste atenção na forma como você responde aos seus sucessos e fracassos. Você considera seus sucessos como sorte e se crucifica pelas falhas? Comece a comemorar suas vitórias, perdoe suas perdas e aprenda com elas.

4) Conheça suas fortalezas. Conhecer sua personalidade permite que maximize seus pontos fortes e gerencie seus pontos fracos. Faça uma análise SWOT pessoal, com seus pontos fortes, fracos, oportunidades e ameaças.

5) Medite. É a prática fundamental para melhorar o autoconhecimento. Você perceberá como sua mente vagueia em momentos nem sempre adequados e entenderá como melhorar para se livrar dessas distrações.

Ale Filippini

Colunista

Migrou da advocacia internacional para a área de qualidade de vida e alta performance há quase 10 anos. Formada pela Federação de SP do DeRose Method, especializou-se em treinamentos e palestras para quem quer melhor desempenho profissional ou esportivo, com experiência de consultorias inclusive fora do país. Utiliza técnicas respiratórias, corporais, de mentalização, meditação, descontração muscular, entre outras, como um diferencial para quem quer atingir um nível acima. Essas ferramentas têm sido amplamente utilizadas por atletas amadores e profissionais, tanto brasileiros quanto estrangeiros. É corredora há 12 anos e migrou para o triathlon há 2, tendo completado 2 IronMan 70.3 neste período. Assinará a coluna “Alta Performance – Você é a chave para o Alto Rendimento”

One thought on “12 PILARES DA ALTA PERFORMANCE: AUTO CONHECIMENTO

  1. Denis Oliveira disse:

    excelente!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *